DIVERTICULITE

 

DIVERTICULOSE e DIVERTICULITE

                O problema é mais comum com o passar dos anos e a chave da prevenção é simples: está em bons hábitos alimentares
                 A diverticulose é caracterizada pela presença de saculações, como se fossem pequenos vãos, no intestino grosso, que são chamados de divertículos. Ela atinge boa parte da população com mais de 80 anos, aumentando sua incidência a partir dos 50. Quando ocorre um processo inflamatório dos divertículos, surge a doença chamada diverticulite.
                      Os especialistas não sabem ao certo a causa do aparecimento dos divertículos. Uma dieta pobre em fibras pode desempenhar um papel importante na doença, pois a falta delas para adicionar volume às fezes faz com que o cólon trabalhe mais do que o normal para empurrar o bolo fecal. A pressão pode formar bolsas em pontos fracos ao longo do cólon. A doença diverticular ou diverticolose é uma doença benigna do envelhecimento e NÃO aumenta a chance de câncer de intestino.
No entanto, a diverticulite ocorre quando as fezes ficam presas nos divertículos, fazendo com que bactérias se proliferem, ocasionando uma inflamação. A inflamação pode causar dor de barriga, geralmente na parte inferior do lado esquerdo, que pode piorar quando o corpo se move, além de febre. Caso apresente estes sintomas procure seu médico ou um pronto socorro.

Em 70% dos casos, no entanto, a doença diverticular não tem sintomas. Cerca de 10% dos pacientes apresentam sintomas que podem ser comuns em outras doenças, como mudança de hábito intestinal, dor no estômago, flatulência, anorexia, sensação frequente de estômago cheio, sangue nas fezes, hemorragia de origem intestinal e febre.

                   Para prevenir-se, vale estar atento aos fatores de risco. Além de uma dieta pobre em fibras e líquidos, o envelhecimento e casos da doença na família aumentam as chances.
                 Em casos de diverticulose, ou seja, quando não existe o processo inflamatório, é aplicado o tratamento clínico, em que o paciente deverá ter uma dieta com mais fibras e líquidos, além de usar antiespasmódicos nas crises de dor. A cirurgia costuma ser necessária apenas quando ocorre a diverticulite e mesmo assim é recomendada apenas a partir do segundo episódio.
                   Boa parte da saúde do seu intestino depende de hábitos saudáveis, que são fáceis de serem postos em prática. Cuidar-se é fundamental.

 

 

Diverticulite
Desk do médico
Dra Ana Carolina Buffara
Cirurgia do Ap. Digestivo